Início / Política / Executivo da Engevix reconhece pagamento a esquema investigado na Lava Jato

Executivo da Engevix reconhece pagamento a esquema investigado na Lava Jato

Ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, abre depoimento na CPMI que investiga denúncias de irregularidades na companhia, dizendo que ficará em silêncio (Geraldo Magela/Agência Senado)

Advogados de Paulo Roberto Costa reconhecem pagamento de propina ao esquema da Lava JatoGeraldo Magela/Agência Senado

A defesa do vice-presidente da empreiteira Engevix, Gerson de Mello Almada,

reconheceu hoje (22) que fez pagamentos ao esquema de corrupção na Petrobras. Na resposta enviada à Justiça Federal em Curitiba, na ação penal a qual ele responde,  os advogados alegaram que Almada sofreu ameaças do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, para fazer os pagamentos.

Os advogados de Almada afirmaram que Costa passou a exigir “percentuais de todos os executivos das empreiteiras que tinham contratos com estatal”. Acrescentaram que Paulo Roberto ameaçava os empresários, “um a um”, com o poder econômico da Petrobras. Os advogados destacaram que o ex-diretor “prometia causar prejuízos no curso de contratos. Dizia que levaria à falência quem contrastasse seu poder, sinônimo da simbiose do poder econômico da mega empresa com o poder político do governo.”

Para os advogados, Gerson Almada foi vítima do pragmatismo das relações políticas e por fazer parte de um grupo que “pecou” por não resistir a pressão para pagar propina. 

“O pragmatismo nas relações políticas chegou, no entanto, a tal dimensão que o apoio no Congresso Nacional passou a depender da distribuição de recursos a parlamentares. O custo alto das campanhas eleitorais levou, também, à arrecadação desenfreada de dinheiro para as tesourarias dos partidos políticos. Não por coincidência, a antes lucrativa sociedade por ações, Petrobras, foi escolhida para geração desses montantes necessários à compra da base aliada do governo e aos cofres das agremiações partidárias”, alegam os advogados.

Na petição, a defesa também pede a nulidade dos pedidos de busca e apreensão, das escutas telefônicas e da investigação criminal.

Comentários

comentários

Veja Também

Publicação da ata da convenção municipal do Partido dos Trabalhadores

Publicação da ata da convenção municipal da comissão provisória de Maraú do Partido dos Trabalhados …

Deixe uma resposta

error: Conteúdo pertence ao grupo Maraú Notícias!