Início / Política / Ministra diz que desafio é aumentar representatividade dos negros no poder

Ministra diz que desafio é aumentar representatividade dos negros no poder

A ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Nilma Lino, disse hoje (14), ao participar de debate em comissão geral, na Câmara dos Deputados, que o desafio mais importante, para o governo e para a sociedade brasileira, é aprovar políticas de superação da mortalidade da juventude negra e elevar a representatividade dessa parcela da população nas diversas esferas de poder.

Segundo a ministra, para superar os desafios, o êxito depende de parcerias com os movimentos sociais, com o Legislativo e com os demais ministérios. Ela acrescentou que as parcerias permitirão que a diversidade da população negra “seja representada nos mais diversos setores da sociedade”.

O deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) se manifestou sobre os temas citados por Nilma. Segundo ele, a representatividade da juventude negra é essencial “para que o Brasil garanta direitos humanos e a vida da nossa juventude”. “Considero que o que se faz hoje no Brasil é um verdadeiro genocídio contra nossa juventude. Precisamos implementar políticas públicas que impeçam essa violação”, acrescentou.

A deputada Maria do Rosário (PT-RS) defendeu a necessidade de contemplar a diversidade brasileira na tomada de decisões no país. “Esse plenário [da Câmara] é desigual e está distanciado do rosto real da nação brasileira. Temos um plenário e um poder que são brancos, [do sexo] masculino e ligados a uma classe social e, do lado de fora, nas periferias urbanas, temos os negros e negras”.

Durante sua exposição na comissão geral, a ministra Nilma Lino apresentou as proposições que considera prioritárias na agenda legislativa da Câmara dos Deputados. Entre elas está o Projeto de Lei 7103/2014, que propõe a inclusão do quesito cor ou raça nos prontuários, registros e cadastramentos do Sistema Único de Saúde (SUS). Outro item é a rejeição à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 215/2000, que transfere ao Congresso Nacional a competência para demarcação de terras indígenas, quilombolas e unidades de conservação.

A ministra também apaia o Projeto de Lei 932/2015, que estabelece cota para representação de afrodescendentes na publicidade governamental.

Comentários

comentários

Veja Também

Publicação da ata da convenção municipal do Partido dos Trabalhadores

Publicação da ata da convenção municipal da comissão provisória de Maraú do Partido dos Trabalhados …

Deixe uma resposta

error: Conteúdo pertence ao grupo Maraú Notícias!