Início / Política / Primeiro-ministro chinês visita Brasil acompanhado de 150 empresários

Primeiro-ministro chinês visita Brasil acompanhado de 150 empresários

Menos de um ano após a visita ao Brasil do presidente da China, Xi Jinping, na qual foram assinados mais de 50 acordos, o país asiático envia seu primeiro-ministro, Li Keqiang, acompanhado de 150 empresários. Mais uma vez, o objetivo é aprofundar as relações de cooperação e comércio entre os dois países.

O líder do governo chinês se encontrará na próxima terça-feira (19) com a presidenta Dilma Rousseff, enquanto o empresariado chinês se reunirá com representantes do setor privado brasileiro na Cúpula Empresarial Brasil-China, no Itamaraty.

A expectativa do governo brasileiro é que, durante a missão chinesa, seja solucionada a questão da liberação das exportações de carne bovina do Brasil para o país. Durante a visita de Xi Jinping, em julho do ano passado, foi anunciado o fim do embargo chinês à carne brasileira, que durava desde 2012. No entanto, ainda falta a assinatura de um protocolo sanitário.

Está prevista, ainda, a assinatura de acordos nas áreas financeira, de infraestrutura e de energia entre os dois países. A cúpula dos empresários é organizada pelo Ministério das Relações Exteriores, Ministério do Comércio da China e Conselho Empresarial Brasil-China (CECB). De acordo com o CECB, entre os 150 empresários que chegarão ao Brasil, grande parte é vinculada a bancos e empresas de engenharia.

A programação da delegação chinesa inclui jantar na noite de segunda-feira (18) em Brasília, com o empresariado brasileiro, no qual está prevista uma rodada de negócios. Na terça, ocorre a agenda da presidenta com o primeiro-ministro chinês e as conversações entre empresários brasileiros e chineses no Itamaraty, com previsão de anúncio de acordos.

Na quarta (20), a missão da China segue para o Rio de Janeiro. Lá, está programada a inauguração de uma exposição de marcas chinesas e um passeio de barco pela baía de Guanabara, que deve incluir o primeiro-ministro. Para a secretária-executiva do CECB, Júlia Dias Leite, as duas visitas oficiais em um curto intervalo sinalizam a proximidade entre os países. “Demonstra a importância que o governo da China está dando ao Brasil e que é uma relação madura”, acredita.

A China vem desacelerando suas tradicionalmente altas taxas de crescimento. Em 2014, o Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos em um país) chinês cresceu 7,4%, o menor patamar em 24 anos. No primeiro trimestre de 2015, o PIB chinês cresceu 7%, o menor ritmo em seis anos.

O país também vem perdendo espaço nas exportações do Brasil. Sua participação no total exportado pelos brasileiros caiu de 19,32%, de janeiro a março de 2014, para 14,47% no mesmo período deste ano, em razão da queda dos preços das commodities (produtos primários com cotação internacional) e da desaceleração da economia chinesa. Mesmo assim, a China ocupou o posto de principal mercado consumidor dos produtos brasileiros no primeiro trimestre de 2015 e é considerada um parceiro comercial de importância estratégica.

*Colaborou Danilo Macedo
 

Comentários

comentários

Veja Também

Publicação da ata da convenção municipal do Partido dos Trabalhadores

Publicação da ata da convenção municipal da comissão provisória de Maraú do Partido dos Trabalhados …

Deixe uma resposta

error: Conteúdo pertence ao grupo Maraú Notícias!