Início / Política / Congresso compreendeu necessidades do país, diz Temer sobre aprovação da MP 665

Congresso compreendeu necessidades do país, diz Temer sobre aprovação da MP 665

Temer negou que tenha havido acordo de distribuição de cargos aos peemedebistas em troca de apoio. “[Ontem] não houve nada, absolutamente nada. Não há essa coisa de distribuição de cargos. O que há no governo é o seguinte: quem ganhou a eleição, quem apoiou o governo, quem ajudou a presidente Dilma, vai governar junto”, disse.

Segundo Temer, foi fundamental para a aprovação da MP que a bancada do PT oficializasse posicionamento favorável. “Percebi nitidamente que se o PT não fechasse a questão haveria dificuldade para a votação. E o PT colaborou enormemente, porque fechou  questão e permitiu a aprovação”.

Com relação ao PDT, único partido da base aliada que encaminhou voto contra a MP, Temer disse que uma eventual manifestação a respeito deve partir da presidenta Dilma Rousseff. “A presidente vai examinar depois. Não há nenhuma cogitação a respeito agora”.

Temer disse que o voto favorável de alguns parlamentares do DEM, cuja bancada encaminhou voto contra a aprovação da medida, foi “uma surpresa agradável”. “Alguns companheiros do DEM compreenderam que é importante para o Brasil. Eu acho que eles votaram pautados por essa ideia”, disse.

O vice-presidente evitou comentar o programa político do PT que foi ao ar na terça-feira (5), no qual o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou a aprovação do Projeto de Lei 4.330, que trata da terceirização. “Isso é uma questão do Congresso. O Senado vai decidir sobre isso, ainda tem um caminho pela frente”.

Temer negou também que o Executivo tenha perdido poder com a aprovação da chamada PEC da Bengala. “Não é uma pauta do governo. Eu mesmo, quando era presidente da Câmara, em três ocasiões botei para votar. Não vejo como o Executivo possa ter perdido poder, se ele nunca interferiu nessa matéria”, disse.

O vice-presidente participou hoje (7) do Encontro Nacional dos Secretários-gerais do PMDB, em Brasília. Questionado sobre como vê uma candidatura própria do partido nas eleições de 2018, Temer respondeu: Com os melhores olhos.

Comentários

comentários

Veja Também

Dilma conversa com empresários brasileiros formas de ampliar relações com EUA

Idioma Português, Brasil fonte: Agência Brasil – Política Comentários comentários

Deixe uma resposta

error: Conteúdo pertence ao grupo Maraú Notícias!