Início / Mundo / Direitos Humanos / Missa e almoço comunitário lembram os dez anos do assassinato de Dorothy Stang

Missa e almoço comunitário lembram os dez anos do assassinato de Dorothy Stang

Dorothy Stang

Uma missa no local onde Dorothy Stang está enterrada, um almoço comunitário e uma audiência foram os eventos que marcaram os dez anos do assassinato da

missionária. A freira norte-americana, naturalizada brasileira, foi morta no dia 12 de fevereiro de 2005 enquanto ia para mais uma das reuniões que promoveu, entre pequenos agricultores, com o objetivo de aprimorar a reforma agrária na cidade paraense de Anapu.

Nesta quinta-feira (12), moradores do município, autoridades do estado e famílias assentadas na região relembraram a trajetória da missionária. De acordo com padre Amaro, membro da Comissão Pastoral da Terra em Anapu, que celebrou a missa ao lado do bispo do Xingu, dom Erwin Kräutler, e mais sete padres, o almoço teve a presença de cerca de 500 pessoas.

>>Leia o especial completo sobre os 10 anos da morte de Dorothy Stang

A Agência Brasil visitou o município de Anapu e as famílias de assentados beneficiadas com o projeto que Dorothy ajudou a implantar. Foi com a ajuda da missionária que o governo concretizou a criação do primeiro Projeto de Desenvolvimento Sustentável (PDS), apelidado de PDS Esperança. Uma década depois, no entanto, foi possível testemunhar que as famílias ainda necessitam de mais presença do Poder Público.

Segundo padre Amaro, a participação, na audiência, de representantes do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária, do Ministério Público Federal e de defensores públicos foi importante. “A celebração foi muto bonita. A gente vê a presença dela no meio do povo. Isso, para nós, é muito gratificante”, disse.

Padre Amaro concorda que, depois de dez anos, as pessoas do próprio PDS estão participando de forma mais autêntica. “[Celebrar os dez anos] representa a resistência e permanência do povo na terra”, avaliou, ao acrescentar que amanhã (13) dom Erwin celebra uma missa no PDS Esperança, a 50 quilômetros de Anapu, no local onde Dorothy Stang foi assassinada.

Já em Belém, um ato público marca a data nesta noite, na Praça Mártires de Abril. De acordo com os organizadores, além de uma homenagem com dez tochas e dez cruzes no local, serão distribuídos sanduíches para moradores de rua, para simbolizar a opção da missionária de trabalhar entre os miseráveis.

Comentários

comentários

Veja Também

Brasília: manifestantes fazem ato contra a legalização do aborto

A 8ª Marcha Nacional da Cidadania pela Vida – Brasil, um protesto contra a legalização …

Deixe uma resposta

error: Conteúdo pertence ao grupo Maraú Notícias!