Início / Mundo / Dilma defende fim do embargo a Cuba e pede fórum de empresários da Celac

Dilma defende fim do embargo a Cuba e pede fórum de empresários da Celac

A presidenta Dilma Rousseff comemorou o restabelecimento das relações entre os Estados Unidos e Cuba, mas defendeu o fim do embargo econômico do país norte-americano à ilha. Ao discursar em

sessão plenária da Cúpula da Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac), ela também defendeu a criação de um fórum composto por empresários dos países-membros como parte de um projeto de cooperação regional para enfrentar os problemas da economia internacional e retomar um crescimento “robusto”.

Ao iniciar sua fala, Dilma elogiou a “coragem” e “responsabilidade histórica” dos presidentes Barack Obama e Raul Castro pelo passo dado. Para ela, com o gesto, “começa a se retirar da cena latino-americana e caribenha o último resquício da Guerra Fria em nossa região”.

“Não podemos esquecer, todavia, de que o embargo econômico, financeiro e comercial dos EUA a Cuba, ainda continua em vigor. Essa medida coercitiva, sem amparo no direito internacional, que afeta o bem-estar do povo cubano e prejudica o desenvolvimento do país, deve, tenho certeza, do ponto de vista de todos países aqui representados, ser superada”, declarou. Há exatamente um ano, e em outras ocasiões antes da normalização das relações, a presidenta havia se manifestado no mesmo sentido .

Dilma ressaltou ainda a “importante contribuição” do papa Francisco no restabelecimento das relações entre Cuba e EUA. O anúncio da normalização das relações entre os dois países é um dos temas que serão discutidos na cúpula, ao lado da aproximação do bloco com a China, que prometeu duplicar o intercâmbio comercial com a região e investir US$ 250 bilhões na próxima década.

Dizendo-se consciente de que a recuperação da economia mundial não ocorre com a força esperada, a presidenta declarou que a situação de baixo crescimento, queda no preço das commoditties e apreciação do dólar vai exigir “cautela e esforço” dos países da América Latina e do Caribe para estimular a competitividade na região.

Na opinião de Dilma, alguns subsídios “distorcem o comércio internacional” e as reações provocam “escaladas tarifárias” que dificultam as exportações de países em desenvolvimento. “Diante desse quadro torna-se urgente nossa cooperação, priorizando o comércio intrarregional e, ao mesmo tempo, sempre que possível, estimulando o desenvolvimento e a integração de nossas cadeiras produtivas”, defendeu.

Após citar fóruns da comunidade com a China e com a União Europeia e pregar que a integração começa prioritariamente pelos vizinhos, a presidenta propôs a constituição de um fórum de empresários da Celac com a participação dos governos e das empresas. “Seu objetivo será desenvolver o comércio, aproveitar as oportunidades diversificadas que nossas economias oferecem, e estimular, quando possível, a integração produtiva, promovendo nossas relações com o resto do mundo”, explicou.

A presidenta participa da 3ª Cúpula da Celac em San Jose, na Costa Rica, até amanhã (29). O evento reúne chefes de Estado, de Governo e chanceleres dos 33 países americanos, com exceção dos Estados Unidos e do Canadá (que não são de origem latina). Presidentes do Uruguai, José Pepe Mujica, de Cuba, Raul Castro, da Venezuela, Nicolás Maduro, e do Chile, Michele Bachelet, estão no país para o encontro.

Após a reunião, Dilma se reúne reservadamente com os líderes da Colômbia, Juan Manoel Santos, e do Panamá, Juan Carlos Varela, e participa de jantar em homenagem aos chefes de Estado e de Governo oferecido pelo anfitrião, Luis Guillermo Solis Rivera, presidente da Costa Rica. Nesta quinta-feira (29), as lideranças se recolhem em um retiro e participam da transferência da presidência pro-tempore do bloco, da Costa Rica ao Equador.

Comentários

comentários

Veja Também

EUA suspendem isenção de vistos para 38 países de três continentes

Os Estados Unidos anunciaram hoje (16) que irão modificar as regras para isenção de vistos …

Deixe uma resposta

error: Conteúdo pertence ao grupo Maraú Notícias!