Início / Mundo / Jordânia aceita trocar terrorista iraquiana por piloto capturado na Síria

Jordânia aceita trocar terrorista iraquiana por piloto capturado na Síria

O governo da Jordânia disse hoje (28) que aceita libertar a terrorista jihadista Sayida Al Rishawi em troca da libertação do piloto jordaniano capturado na Síria pelo grupo Estado Islâmico.

A

informação foi adiantada pela televisão estatal, que cita um porta-voz governamental, sem fazer qualquer referência ao jornalista japonês Kenji Goto, que os jihadistas ameaçaram matar juntamente com o piloto jordaniano.

“A Jordânia está preparada para libertar a prisioneira Sayida Al Rishawi se o piloto jordaniano for libertado ileso”, noticiou a televisão estatal. “Desde o primeiro momento, a posição da Jordânia é garantir a segurança do nosso filho, o piloto Maaz Al Kassasbeh”, acrescentou, citando o porta-voz.

O grupo Estado Islâmico divulgou vídeo na terça-feira (27) em que ameaça matar Kassasbeh e Goto no prazo de 24 horas se Al Rishawi não for libertada. O governo japonês disse no mesmo dia estimar que esse prazo terminasse às 12h (horário de Brasília) de hoje.

Segundo responsáveis jordanianos, no vídeo, os jihadistas ameaçam matar os dois, mas apenas mencionam a libertação de Goto em troca de Al Rishawi. Um outro cidadão japonês, Haruna Yukawa, que num primeiro vídeo aparecia junto a Kenji Goto, foi degolado no fim de semana, segundo os jihadistas.

Sayida Al Rishawi está no corredor da morte de uma prisão jordaniana desde que foi condenada, em 2005, pela participação em um triplo atentado à bomba, em Amã, que matou 60 pessoas.

Kassasbeh foi capturado a 24 de dezembro, depois de o caça-bombardeiro F-16 que pilotava cair no norte da Síria, durante missão da coligação internacional que combate os jihadistas.

Comentários

comentários

Veja Também

EUA suspendem isenção de vistos para 38 países de três continentes

Os Estados Unidos anunciaram hoje (16) que irão modificar as regras para isenção de vistos …

Deixe uma resposta

error: Conteúdo pertence ao grupo Maraú Notícias!