Início / Mundo / Tóquio e Amã estreitam colaboração para libertar reféns do Estado Islâmico

Tóquio e Amã estreitam colaboração para libertar reféns do Estado Islâmico

O Japão continua intensificando a colaboração com a Jordânia para a libertação de Kenji Goto, o jornalista japonês que é refém do Estado Islâmico. “Há desenvolvimentos na colaboração com a

Jordânia”, disse o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros japonês, Yasuhide Nakayama, em declarações transmitidas pela emissora pública NHK.

Nakayama, que lidera uma equipe especial em Amã para gerir a crise dos reféns, acrescentou que os dois países partilham o objetivo de libertar também o piloto jordaniano Muaz Kasasbeh, refém do Estado Islâmico desde dezembro. Segundo ele, Tóquio e Amã devem trabalhar em conjunto para resgatar tanto Goto quanto Kasasbeh.

Em gravação divulgada na internet no fim de semana, o grupo jihadista pediu a libertação da extremista Sajida Al Rishawi, condenada à morte na Jordânia por tentativa de atentado, em troca da libertação do jornalista japonês.

O diário Jordan Times afirmou na segunda-feira (26) que o Estado Islâmico propôs uma troca dois mais dois: que consiste na libertação do piloto e do jornalista em troca de Sajida e de outro jihadista condenado em 2008 pelas autoridades jordanianas.

A possibilidade de uma troca, que Tóquio e Amã ponderam com cautela há vários dias, foi rejeitada publicamente pelos Estados Unidos, aliados do Japão e da Jordânia.

O porta-voz do Departamento de Estado, Jen Psaki, disse em uma coletiva de imprensa que a troca estaria “dentro da mesma categoria” que pagar por um resgate e que supõe aceitar as exigências de um grupo terrorista.

Comentários

comentários

Veja Também

EUA suspendem isenção de vistos para 38 países de três continentes

Os Estados Unidos anunciaram hoje (16) que irão modificar as regras para isenção de vistos …

Deixe uma resposta

error: Conteúdo pertence ao grupo Maraú Notícias!