Início / Mundo / Cuba quer mudar a política de migração dos Estados Unidos

Cuba quer mudar a política de migração dos Estados Unidos

No primeiro dia de conversas entre os governos de Cuba e dos Estados Unidos sobre o processo de normalização das relações diplomáticas entre os dois países, em Havana, os representantes cubanos

expressaram hoje (21) preocupação com a Lei de Ajustamento Cubano e a chamada política de “pés secos, pés molhados”, que consideram “o principal incentivo à imigração ilegal para os Estados Unidos”.

Em vigor desde 1966, a lei oferece facilidades à instalação dos imigrantes cubanos, dando-lhes o status de residentes, por um ano, benefício que não é dado a cidadãos de outras nacionalidades. A política de de “pés secos, pés molhados” agiliza o acesso à residência permanente dos cubanos que conseguem chegar ao solo norte-americano. Os abordados no mar são repatriados para Cuba, ilha que está a 140 quilômetros do extremo sul da Flórida. 

“Expressamos preocupação porque a lei vai contra o espírito e a letra dos acordos migratórios que estamos revendo nesta sessão de trabalho”, disse o subdiretor para as questões dos Estados Unidos do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Cuba, Gustavo Machín.

De hoje a sábado (24), a primeira missão oficial americana, liderada pela secretária de Estado adjunta para a América Latina, Roberta Jacobson, vai permanecer no país discutindo a normalização das relações diplomáticas, rompidas desde 1961. Entre as primeiras medidas, está a reabertura das embaixadas.

Os presidentes dos Estados Unidos, Barack Obama, e de Cuba, Raúl Castro, fizeram o anúncio de reaproximação entre os dois países no dia 17 de dezembro de 2014.

*Com informações da Agência Lusa

Comentários

comentários

Veja Também

EUA suspendem isenção de vistos para 38 países de três continentes

Os Estados Unidos anunciaram hoje (16) que irão modificar as regras para isenção de vistos …

Deixe uma resposta

error: Conteúdo pertence ao grupo Maraú Notícias!