Início / Mundo / Primeiro-ministro japonês exige libertação imediata de reféns do Estado Islâmico

Primeiro-ministro japonês exige libertação imediata de reféns do Estado Islâmico

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, exigiu hoje (20) a libertação imediata de dois reféns que o movimento Estado Islâmico (EI) ameaçou matar, conforme mostra novo vídeo divulgado pelo movimento.

O

governo japonês também se recusou a pagar resgate de US$ 200 milhões (cerca de R$ 520 milhões) pelos reféns. Segundo Shinzo Abe, a comunidade internacional não vai ceder ao terrorismo e deve cooperar na lutacontra esta ameaça.

“Estou extremamente indignado com esse ato e exijo vigorosamente que nenhum mal seja feito [aos reféns] e que sejam libertados imediatamente”, disse o premiê à imprensa, em Jerusalém. Abe garantiu que o Japão, apesar do sequestro, não anulará a ajuda de US$ 200 milhões prometida aos países afetados pela ação dos jihadistas do EI, especialmente no Iraque e na Síria. A decisão está mantida, afirmou o chefe do governo japonês, ressaltando a vocação humanitária dessa ajuda.

A ajuda japonesa é mencionada no vídeo atribuído ao Estado Islâmico para justificar as ameaças contra os dois reféns. No vídeo divulgado online, o EI ameaça matar dois japoneses – Haruna Yukawa e Kenji Goto – se o governo japonês não pagar US$ 200 milhões em 72 horas.

Nas imagens, um militante vestido de preto, empunhando uma, faca dirige-se à câmera, em inglês, de pé, entre dois reféns vestidos com macacões cor laranja. “Vocês têm 72 horas para pressionar o governo a tomar a decisão mais sensata e pagar US$ 200 milhões para salvar a vida de seus cidadãos”, diz o homem. Ele explica que o valor do resgate serve de compensação pela ajuda que o primeiro-ministro japonês prometeu dar à campanha contra o Estado Islâmico no Oriente Médio.

Comentários

comentários

Veja Também

EUA suspendem isenção de vistos para 38 países de três continentes

Os Estados Unidos anunciaram hoje (16) que irão modificar as regras para isenção de vistos …

Deixe uma resposta

error: Conteúdo pertence ao grupo Maraú Notícias!