Início / Mundo / Dezenas de nigerianos e camaroneses são sequestrados em ataques do Boko Haram

Dezenas de nigerianos e camaroneses são sequestrados em ataques do Boko Haram

Dezenas de pessoas foram mortas ou sequestradas durante novos ataques do grupo radical islâmico Boko Haram a cidades e aldeias de Camarões e da Nigéria, neste domingo (18). Os números ainda

são incertos, pois enquanto alguns veículos informam que ao menos 60 camaroneses estão em poder dos extremistas, outros noticiam que o número de sequestrados ultrapassa 80. As autoridades camaronesas ainda não divulgaram qualquer informação em suas páginas na internet.

Segundo a polícia, mulheres e crianças formam a maioria dos camaroneses sequestrados durante o ataque a duas aldeias do distrito de Mokolo. Além disso, várias pessoas foram mortas e moradias, incendiadas.

Já na Nigéria, as primeiras notícias dão conta de que pelo menos quatro pessoas foram mortas e 50 ficaram feridas devido a um atentado suicida em Postikum, no estado de Yobe, na Região Nordeste do país. Segundo jornais locais, um homem-bomba lançou o carro que dirigia contra outros veículos e, na sequência, houve a explosão. O suposto atentado ocorreu próximo a uma rodoviária.

Vários feridos foram levados a hospitais próximos em estado grave. Até o momento, nenhum grupo reivindicou a autoria do ataque, mas, segundo a imprensa local, a suspeita recaiu imediatamente sobre o Boko Haram, já que o grupo está sediado na região.

No início do mês, os jihadistas raptaram 40 jovens de uma aldeia em Malari, no estado de Borno, também no Nordeste.  A maioria dos sequestrados era crianças e jovens do sexo masculino, com idade entre 10 e 23 anos. O temor dos sobreviventes do ataque e das autoridades nigerianas é que os jovens tenham sido levados para ser recrutados como soldados.

O grupo Boko Haram, que luta pela instauração de um Estado islâmico na Nigéria e cujo nome significa “A educação não islâmica é pecado”, tem levado a cabo uma campanha violenta no país. Segundo a Agência Nacional de Gestão de Emergência (Nema), até a última quinta-feira (15), mais de 868 mil nigerianos tiveram que abandonar seus lares e pertences na Região Nordeste e fugir para outras localidades em busca de proteção, comida e medicamentos. Milhares desses refugiados estão reunidos em um dos 20 acampamentos sob os cuidados das autoridades nigerianas.

Comentários

comentários

Veja Também

EUA suspendem isenção de vistos para 38 países de três continentes

Os Estados Unidos anunciaram hoje (16) que irão modificar as regras para isenção de vistos …

Deixe uma resposta

error: Conteúdo pertence ao grupo Maraú Notícias!