Início / Mundo / Ataques a civis no Iêmen são crimes de guerra, diz Human Rights Watch

Ataques a civis no Iêmen são crimes de guerra, diz Human Rights Watch

A organização de direitos humanos Human Rights Watch (HRW) apelou hoje (7) para que os rebeldes xiitas e seus aliados no Iêmen façam todos os esforços possíveis para minimizar o impacto do conflito sobre os civis.

“Os ataques deliberados contra civis e a manutenção de reféns constituem crimes de guerra”, afirmou a entidade em comunicado.

“Os civis em Aden [cidade no Sul do Iêmen] estão numa situação desesperadora, mesmo sem serem atacados, detidos e sequestrados”, disse Joe Stork, diretor adjunto para o Oriente Médio e Norte da África da HRW.

“Os líderes dos huthis [rebeldes xiitas] e de outras forças devem proteger os civis”, acrescentou o responsável da organização com sede em Nova York.

A HRW deu o exemplo de duas mulheres em Aden atingidas por balas em incidentes distintos em 17 e 18 de abril, que morreram antes de os seus parentes encontrarem um lugar onde pudessem receber tratamento.

Pelo menos 32 pessoas foram mortas e 67 feridas por mísseis disparados na quarta-feira (6) contra civis que fugiam por mar dos combates no centro de Aden, segundo um dirigente dos serviços de saúde da cidade.

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), é preocupante o aumento da violência no Iêmen, onde uma coligação liderada pela Arábia Saudita faz ataques aéreos contra os rebeldes xiitas huthis, que, em setembro, tomaram várias regiões do país e forçaram o presidente Abd Rabbo Mansour Hadi a fugir para o território saudita. Os huthis conquistaram a capital Sana em fevereiro e, em março, avançaram para a cidade portuária de Aden.

Comentários

comentários

Veja Também

EUA suspendem isenção de vistos para 38 países de três continentes

Os Estados Unidos anunciaram hoje (16) que irão modificar as regras para isenção de vistos …

Deixe uma resposta

error: Conteúdo pertence ao grupo Maraú Notícias!