Início / Brasil / Instituto de Traumatologia alerta para cuidados com esão por esforço repetitivo

Instituto de Traumatologia alerta para cuidados com esão por esforço repetitivo

O Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad (Into) faz um alerta aos trabalhadores sobre os cuidados no dia a dia para evitar danos a saúde por Lesões por Esforço Repetitivo (LER) e aos Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORTs), durante o dia Dia Internacional de Prevenção às LER/DORTs, amanhã (28).

Além dos esforços repetitivos, a sobrecarga pelo estresse no trabalho também contribui para as dores e danos aos tendões e aos músculos. 

Algumas profissões levam os funcionários a repetir o mesmo movimento diversas vezes, provocando essas doenças. As atividades mais monótonas, como operador de telemarketing, bancário ou operário de fábrica levam à formação dessas lesões, que aparecem mais nos membros superiores, no cotovelo e no ombro, em forma de tendinite, sinovite, síndrome do túnel do carpo e no punho, também como a síndrome do túnel do carpo. Já nos membros inferiores, é mais comum a bursite no quadril.

Segundo o médico do trabalho do Into, Eduardo Branco, algumas empresas perceberam que muitos funcionários estavam sendo afastados do trabalho por conta de lesões por esforço repetitivo.

“No esforço repetitivo, o intervalo de recuperação para tirar a substância ruim e trazer mais oxigênio e nutriente  ao organismo fica muito curto e a substância ruim começa a acumular mais do que deveria. Os empregados começam a cair de produção, a faltar, a ficar doentes e muitas empresas passam a cuidar da questão das LER/DORTs por conta disso. As empresas têm investido também na questão do suporte psicológico e, quando identificam o profissional que está com essas características, começam a dar o apoio necessário para que ele não venha a adoecer”, explicou Branco.

Segundo o médico, o movimento repetitivo não permite que a estrutura do tendão do músculo descanse o tempo necessário para se recuperar, porque toda vez que a pessoa faz um esforço repetitivo, o músculo produz substâncias que são prejudiciais, que acabam ocasionando as lesões. O recomendado para as pessoas que trabalham com um atividade monótona, de acordo com o especialista, é fazer uma pausa obrigatória nas atividades para repouso de 10 minutos, a cada 50 minutos de atividade repetitiva, além de alongamento.

“Algumas empresas estão aderindo à ginástica laboral durante o expediente de trabalho. Se for possível, é interessante sempre o rodízio das atividades. Isso é uma coisa que os bancários tiveram que fazer porque o índice de afastamento por lesões era muito alto. Além disso, sabemos que as doenças do esforço estão associadas a um aumento da pressão psicológica por produção, por meta a cumprir, clientes para atender, e essa pressão também acaba surtindo efeitos psicológicos muito grandes”, disse Branco.

Comentários

comentários

Veja Também

Epidemia do vírus Zika no Brasil completa um ano com desafio na área de pesquisa

Na próxima sexta-feira, (11) completa-se um ano desde que o Brasil foi oficialmente atingido por …

Deixe uma resposta

error: Conteúdo pertence ao grupo Maraú Notícias!