Início / Brasil / Detran tenta fazer motoristas do DF respeitarem escolas na volta às aulas

Detran tenta fazer motoristas do DF respeitarem escolas na volta às aulas

O Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran/DF) iniciou hoje (29), para o ano de 2015, uma campanha educativa com o tema “Volta às Aulas”, com a finalidade de orientar os

pais, alunos e as escolas sobre os riscos que as crianças correm e as medidas que devem ser tomadas pelos motoristas, “como não fazer retorno sobre a faixa”, segundo a chefe do Núcleo de Campanhas Educativas de Trânsito, Karen Lúcia. 

A atuação do Detran diante de uma escola da capital  teve a participação de quatro agentes do Departamento e mais seis pessoas que  cumprem pena alternativa por  infrações de trânsito que cometeram. “É mais uma maneira de reforçar ao cidadão a necessidade de se pensar o trânsito como um órgão onde várias partes precisam fazer sua parte”, disse Karen.

Um desses motoristas punidos é o advogado Álvaro Figueiredo, que disse estar ali porque “atropelou um cone” e precisa cumprir 32 horas de serviços como esse para ser liberado da pena. “Esse tipo de ação [do Detran nas escolas] precisa existir e deve continuar existindo. Porque conscientiza os pais e conscientiza também as escolas e os motoristas”, disse.

O colégio, na Asa Sul, é o primeiro alvo do Detran este ano. Lá foi distribuído material com panfletos e instruções sobre a campanha e educação no trânsito. Na próxima semana, a campanha irá a outras escolas do Distrito Federal, na terça-feira e na quinta-feira. As escolas ainda não foram definidas, contou a chefe do Núcleo de Campanha.

A campanha deverá servir para melhorar situações como o estacionamento durante as horas de entrada e saída dos alunos e evitar o caos nas proximidades dos colégios: “O pessoal não respeita mesmo, faz o retorno na faixa de pedestre ou para em fila no meio da rua. Nossa preocupação é com os alunos que saem daqui, porque bem na frente da escola existem essas situações”, pondera Rosângela Silva, ou Tia Rô, como é chamada pelos pequenos. É Rosângela quem espera as crianças todos os dias para a chegada e a saída deles na escola Maria Auxiliadora, na Asa Sul, em Brasília.

Sua reclamação é logo confirmada quando, enquanto conversava com a Agência Brasil, parou e apontou para a faixa de pedestre, que deveria servir como travessia dos alunos e de pedestres. “Olha ali, o carro retornando bem na faixa, não falei que eles não respeitam? Outro dia quase pegaram um aluno nesse mesmo local”, conta, lembrando o caso de motorista que passou sem “dar atenção” para as crianças que saíam da instituição.

O estacionamento da escola parece não comportar a quantidade de carros de pais que vão buscar seus filhos e, por isso, eles justificam que as “paradinhas” são necessárias. É o que diz a empresária de 41 anos e mãe de dois alunos do colégio, de 10 e 3 anos de idade, Andrea Melo: “Vir buscá-los é complicado. Hoje, por exemplo, eu vim mais cedo um pouco para conseguir uma vaga no estacionamento e não ficar esperando no meio da rua. Mas tem dias que não dá”,

Andrea vê na campanha uma oportunidade de mostrar às pessoas o quanto deve ser respeitado o espaço onde transitam tantas crianças. Ela chegou do Rio de Janeiro no início do ano e conta que por lá não existem trabalhos educativos como esse. “Além de a situação na frente das escolas ser bem pior por lá, nunca vi uma campanha como essa que está sendo feita aqui. Aprovo muito”, declarou.

A atuação do Detran contou com a participação de quatro agentes do departamento e mais seis pessoas designadas para a função como forma de cumprir pena alternativa para infrações que eles próprios cometeram. “É mais uma maneira de reforçar ao cidadão a necessidade de se pensar o trânsito como um órgão onde várias partes precisam fazer sua parte”, disse Karen.

Como participante “voluntário” estava o advogado Álvaro Figueiredo. Álvaro conta que está ali porque “atropelou um cone” e precisa cumprir 32 horas de serviços como esse para ser liberado da pena. “Esse tipo de ação [do Detran nas escolas] precisa existir e deve continuar existindo. Porque conscientiza os pais e conscientiza também as escolas e os motoristas”, disse.

O colégio na Asa Sul é o primeiro alvo do Detran este ano. Lá foram distribuídos às partes interessadas, material com panfletos e instruções sobre a campanha e educação no trânsito. Na próxima semana ainda serão realizados o mesmo movimento em outras escolas do Distrito Federal, na terça e na quinta-feiras. As escolas ainda não foram definidas, contou a chefe do Núcleo de Campanha.

 

Comentários

comentários

Veja Também

Justiça nega pedido de suspensão e mantém Enem em duas datas diferentes

do UOL A juíza Federal Elise Avesque Frota, substituta da 8ª Vara Federal do Ceará, …

Deixe uma resposta