Início / Brasil / Famílias da Vila Autódromo comemoram “vitória da resistência” com reurbanização

Famílias da Vila Autódromo comemoram “vitória da resistência” com reurbanização

Rio de Janeiro - Moradores que resistiram à remoção da Vila Autódromo picharam palavras de ordem no que restou das casas (Akemi Nitahara/Agência Brasil)

Rio de Janeiro – Moradores que resistiram à remoção da Vila Autódromo picharam palavras de ordem no que restou das casas Akemi Nitahara/Agência Brasil

A resistência de poucas famílias em ficar na Vila Autódromo obrigaram a prefeitura do Rio de Janeiro a apresentar um plano de urbanização no início de março. O projeto, discutido com os moradores no dia 23 de março, inclui a derrubada de todas as casas e a construção de uma vila padronizada. O acordo entre a prefeitura e os moradores, intermediado pela Defensoria Pública, foi assinado no dia 13 de abril. A expectativa do poder municipal é concluir a urbanização até o dia 22 de julho. 

Rio de Janeiro - Casas dos moradores que resistiram à retirada da Vila Autódromo (Akemi Nitahara/Agência Brasil)

Rio de Janeiro – Casas dos moradores que resistiram à retirada da Vila Autódromo Akemi Nitahara/Agência Brasil

O coordenador do Núcleo de Terras da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, João Helvécio de Carvalho, considera o acordo da Vila Autódromo uma vitória que marca um novo paradigma na relação das comunidades com a prefeitura.

“A expressão quantitativa pode parecer que foi uma derrota, mas, pelo contrário, ela significa que as pessoas podem resistir. Apesar de todo tipo de trauma que eles sofreram, o resultado é satisfatório e isso mostra para outras comunidades, para outras pessoas, que vale a pena quando você tem fundamento legal e justo para a sua demanda. Vale a pena você insistir na defesa daquilo que você estabelece como prioridade, no caso, a moradia digna em um ambiente consolidado de 40 anos de permanência, com direito previsto na legislação apontando para a urbanização e a regularização fundiária”.

>> Leia as matérias da série Vida Removida: a luta pela permanência na Vila Autódromo

Sandra lembra que o processo foi muito árduo, mas diz que não encontrou vantagem em deixar a vila e se mudar para o Parque Carioca. “Você mora numa casa com quintal, com árvores frutíferas, com espaço para aumentar a casa, construir em cima, construir outra casa no quintal para seu filho, tem dois títulos de concessão de uso permitindo você morar nessa terra por 200 anos, tem uma lei complementar 74 que designa como área de especial interesse social destinada a moradia popular e você é obrigada a sair para morar num apartamento de um conjunto habitacional do Minha Casa Minha Vida? Que é um programa do governo para quem não tem moradia, e nós temos casa, porque nós temos que ir para la?”

Rio de Janeiro - Maria da Penha Macena teve a casa demolida, mas continuou na comunidade da Vila Autódromo (Akemi Nitahara/Agência Brasil)

Rio de Janeiro – Maria da Penha Macena teve a casa demolida, mas continuou na comunidade da Vila Autódromo Akemi Nitahara/Agência Brasil

A diarista Maria da Penha Macena mora no local há 23 anos e foi uma das últimas a ter a casa demolida antes do acordo de urbanização ser assinado. “Eu não fiz nenhum tipo de acordo porque meu sonho sempre foi ficar dentro da comunidade. Eu abriria mão da casa, mas não abriria mão da comunidade, porque eu sou feliz aqui e acho que felicidade não se vende nem se compra. Eu também tenho direito a essa terra por 99 anos e não vou abrir mão dele, direito também não se vende nem se compra”, diz.

Animada com o final da história, ela diz que a luta valeu a pena. “Essa luta não é só minha, essa luta é de cada um de nós, porque nós precisamos ter cidades melhores, países melhores. É uma luta por amor à terra, onde chegar um megaevento não expulse a favela, as comunidades, porque temos direitos iguais, nós somos todos iguais, apesar de, às vezes, a pessoa que tem mais dinheiro achar que é melhor, mas ele não é, porque ele fica doente, se perder um parente ele vai chorar como eu vou chorar”.

Em abril, 24 famílias assinaram o acordo com a prefeitura para receber as novas casas construídas pela prefeitura. A previsão é que a nova Vila Autódromo seja entregue no dia 22 de julho.


fonte: Agência Brasil

Comentários

comentários

Veja Também

Prazo para pagamento do Simples Doméstico é prorrogado até 21 de novembro

O Diário Oficial da União publicou a portaria que prorroga para 21 de novembro o …

Deixe uma resposta

error: Conteúdo pertence ao grupo Maraú Notícias!