Início / Brasil / Temer conversa com economistas para avaliação de cenários, diz Jucá

Temer conversa com economistas para avaliação de cenários, diz Jucá

Após participar hoje (23) de reunião, no Palácio do Jaburu, entre o vice-presidente Michel Temer, o economista Henrique Meirelles (ex-presidente do Banco Central) e o ex-ministro das Cidades Gilberto Kassab, o senador Romero Jucá (RR), presidente em exercício do PMDB, disse que Temer vem se reunindo com diversas personalidades para se inteirar da situação econômica do país e ter uma avaliação das várias visões sobre o momento econômico.

Jucá disse que Meirelles fez um quadro que entende ser o quadro atual, e analisou que perspectivas pode ter o país. “Foi uma conversa produtiva, construtiva. Meirelles falou da experiência dele no Banco Central e da visão dele do mercado financeiro. O vice-presidente indagou bastante, perguntou sobre a atual conjuntura. Foi uma conversa assim como outras das quais participei, com o ex-ministro Delfim Netto e outros economistas, para se ter uma avaliação e um quadro com visões distintas”, disse o senador.

Segundo Romero Jucá, essas conversas são importantes para que o vice-presidente possa construir um posicionamento, “para que se o Senado Federal tomar a posição de afastamento [da presidenta Dilma Rousseff], Michel Temer precisa estar pronto para responder rapidamente ao país”. De acordo com o senador, todas essas conversas estão acontecendo, mas “respeitando e na expectativa do que fará o Senado”.

Perguntado se Meirelles seria ministro da Fazenda em um futuro governo Temer, Jucá disse que não há nenhum ministro convidado e não há nenhum ministro definido. “O que o vice-presidente está fazendo é conversando com diversos técnicos, diversos políticos, avaliando diversos setores, ouvindo a conjuntura para tomar a decisão na hora acertada. Definição só depois do pronunciamento do Senado”, disse.

Um dos principais interlocutores do vice-presidente, Romero Jucá negou que esteja havendo distanciamento do PSDB em relação a um futuro governo Temer. “O que há é uma discussão interna do PSDB, se ocupará cargo ou não. Essa é uma discussão que cabe ao PSDB. O importante para a coalização, para a mudança do país, é a participação do PSDB no agrupamento político, na base parlamentar que vai votar mudanças estruturais para o país e, nisso, o PSDB está engajado, está participando, discutindo a todo o momento todos os procedimentos. Portanto, quanto à questão interna do partido, caberá a eles decidirem se, em tese, terão algum tipo de ocupação ou não [no governo]”, disse Jucá.

O senador informou que vem conversando com os partidos, discutindo uma coalizão, um bloco político parlamentar para recuperar o país e, nisso, os partidos estão engajados. “Estamos discutindo um futuro governo se houver a decisão do Senado de afastar a presidente Dilma, e vamos aguardar com toda tranquilidade e toda consciência”. Jucá negou que Temer esteja oferecendo cargo a alguém. “[Ele] não está oferecendo, nem entregando nada, nem nomeando ninguém. Ele não tem o Diário Oficial, quem tem é o atual governo, que nomeou muita gente tentando não passar o impeachment na Câmara”.

Sobre as manifestações contrárias a Michel Temer, que vêm ocorrendo – entre elas a da tarde de hoje em frente ao Palácio do Jaburu, quando eles estavam reunidos –, Romero Jucá disse que as manifestações fazem parte da democracia, contra ou a favor. “Temer é um político experimentado. Se alguém quer protestar, faz parte do jogo”, concluiu.


fonte: Agência Brasil

Comentários

comentários

Veja Também

Justiça nega pedido de suspensão e mantém Enem em duas datas diferentes

do UOL A juíza Federal Elise Avesque Frota, substituta da 8ª Vara Federal do Ceará, …

Deixe uma resposta